Friday, 20 July 2012

Holy Cross - Interview

Holy Cross was interviewed by the Portuguese website "Heaven is not too far" (http://heavenisnottoofar.webs.com/entrevistaholycross.htm). You can either see the interview here below or by the original link. The text is in Portuguese this time.



-Como surgiram os Holy Cross?

A banda surgiu em 2002, sem muitas pretenções, apenas querendo seguir o estilo metal com influências de ambientações medieval e gótica. De início eram Emerson Olaf, Bruno Zubi e William Queiroz.


-Os Holy Cross passaram por algumas mudanças de integrantes.De que forma essas mudanças influenciaram a banda?

Na verdade as mudanças de integrantes quase não influenciaram na banda, que seguiu na mesma idéia principal.


-Quais as principais influências da banda?

Em questão de estilos musicais a banda é influenciada por melodic metal e gothic. Os integrantes da banda têm bastante influência de Angra, Rhaposdy of Fire, Helloween, Stratovarius, Lacrimosa, Nightwish, Haggard, dentre outras. Gostamos muito de contextualizar as músicas, então é possível encontrar referências históricas também,


-Em que lugares já fizeram tours e qual foi o show mais marcante?

A banda, infelizmente, não fez muitas apresentações e ainda não é possível destacar um show que tenha sido marcante


-A banda já passou por alguma situação engraçada ou inesperada em algum show ou gravação?

O início da banda teve diversas situações engraçadas, pois não tínhamos equipamentos suficientes e próprios pro metal, então já fizemos diversos tipos de adaptações com aparelhagens, microfones e etc. O mais importante na época era a força de vontade de querer tocar.


-O que acharam do lançamento do álbum Vaterland (2011)? Como foi a reação do público?

Vaterland na verdade é uma reunião de idéias antigas e novas. Tínhamos um material já gravado mas não por inteiro então terminamos essas músicas e gravamos algumas músicas novas e formamos o álbum, que teve como guitarrista convidado o músico Moisés Missão, da banda Templo de Fogo de power metal. É importante lembrar que, como álbum, de certa forma, conceitual, Vaterland tem versões de músicas medievais, inclusive uma música do Rei da Inglaterra Henry VIII em que cantamos como letra um outro poema deste mesmo Rei. O público reagiu muito bem, mais do que o esperado, é possível encontrar o álbum para download em diversos sites, porém como somos experimentalistas, sempre há alguns que não gostam das inovações.


-No geral, quais os temas que são abordados nas músicas e quem cria as composições?

Basicamente trabalhamos em uma ambientação medieval ou, ao menos, épica. Logo, é possível perceber influências do Romantismo do século XIX. Cada frase e nome de música é bem escolhida e tem uma relação com algo na História, então as músicas tem um sentido ideológico muito forte, a própria música Vaterland tem um sentido político. Abordamos também o Cristianismo, o qual é a fé que professamos. As composições mais antigas foram criadas por mim, Emerson Olaf, e Bruno Zubi, as mais recentes foram criadas somente por mim. Algo interessante é que existem umas 4 ou 5 músicas em português, todas criadas inteiramente por Zubi e são músicas muito boas que lembram a banda alemã Freedom Call. Infelizmente, essas músicas não puderam ser gravadas no álbum Vaterland, pois ficariam fora de contexto.


-O que pensam sobre os estilos de metal? Acham que o antigo heavy metal está perdendo cada vez mais espaço para os novos estilos de metal?

O problema não está em inovar, o problema está em abandonar o espírito em que o Heavy Metal tem que ser trabalhado. Se algo é produzido com intuíto de ser Pop e ter fama, isso nunca vai ser um metal de verdade, sonoramente não há jeito de se juntar as duas coisas. Na hora em que estive mixando e masterizando Vaterland, foram as minhas escolhas que determinaram se a banda seria metal ou pop. E sim, pensamos que o antigo Heavy Metal perde muito espaço para bandas que não sabem o que estão fazendo, bandas que tem como referência de metal o Linking Park, por exemplo (não que esta seja uma banda ruim, mas muitas bandas novas só vêem o metal a partir dessa banda pra frente.). Ao mesmo tempo que a internet facilita o conhecimento, ela forma pessoas com conhecimentos apenas superficiais, então um garoto que nunca procuraria pelo metal por si só, acaba vendo um vídeo no youtube, se empolga e agora é um "metaleiro", pessoas assim formarão bandas, prejudicando a cena.


-Quais são os planos da banda para 2012? Pretendem gravar um novo álbum, fazer um videoclipe?

Comentarei sobre coisas que teria ter falado antes mas reservei para esta pergunta. A banda está parada a um certo tempo já, a produção de Vaterland foi feita para resgatarmos nosso material antigo, como eu já disse. Nem todos os músicos da banda moram na mesma cidade, o que dificulta bastante, mas mesmo assim a banda procura por novos músicos para voltar a atividade. Tendo um time completo, pretendemos sim gravar um novo álbum, pois existem as músicas em português a serem gravadas, mas antes disso, a prioridade de verdade, é fazer muitas apresentações e tornar a banda cada vez mais conhecida e, de repente, ter também um videoclip.


-Deixe uma mensagem para os leitores do Heaven is Not to Far.

Só o fato de vocês serem leitores de um zine, vocês já estão de parabéns. Continuem a incentivar o Heaven is Not to Far através da leitura e divulgação e tentem sempre levar para a vida real o que é feito na internet. Cumprimentos a todos.


Entrevista por:

Denise Fernandes

No comments:

Post a Comment